Fotos de fetos abortados?

A verdade sobre as fotos de fetos do movimento anti-aborto

Por Sara B.

Desde a genêse da campanha anti-aborto, ativistas anti-escolha tem usado imagens para promover sua causa. No entanto, muitas desses elementos apresentam contradições e inconsistências gritantes que tem sido por muito tempo ignorados (talvez por causa da natureza delicada do debate).

Deturpação

Um número considerável de propagandas anti-aborto exibem um feto quase totalmente desenvolvido. Abortos realizados nesse estágio através histerotomia ou dilatação & extração são raros. Somente cerca de 1.5% dos abortos são realizados com 21 semanas ou mais de gestação, de acordo com um estudo feito em 2000 pelo Centro Nacional de Doenças Crônicas (CDC). Em Julho de 1992, um artigo da revista VIDA, A Grande Divisória, relatou que Reverendo Robert Schenk, membro da coaligação anti-escolha Operação Resgate, participou de uma demonstração do lado de fora da clínica em Buffalo, NY, com “bebê Tia”, um feto morto de 17 cm, cor cinza, embebido em formol. Durante o alvoroço da multidão, o feto foi derrubado na rua. Autoridades prenderam Schenck e confiscaram o feto, que foi levado a um médico legista, somente para ser identificado como um feto de aproximadamente 20 semanas que nasceu morto.  O artigo diz, “Muitos apoiadores pró-escolha em Buffalo estão irritados sobre a distância entre a realidade deles – o que eles vêem nas clínicas – e as imagens que os anti-aborto apresentam como fatos. ‘O que eles estão mostrando ao público é uma mentira,’ disse Joni Ladowski, uma enfermeira de uma clínica próxima, enquanto ela desdobra um pedaço de gaze. No centro está o que se parece com um coágulo do tamanho de um amendoim.  É um feto, nove semanas. ‘Isto é um aborto,’ ela diz.”

Bebê em formato de lágrima

Usado pela primeira vez numa campanha anti-aborto de J.C. Wilkke, presidente e fundador do Direito à Vida Internacional, em seu livro em 1971, Manual sobre Aborto, esta imagem tem circulado através de panfletos anti-escolha e sites sem muito questionamento sobre sua origem ou exatidão. Esta imagem retrata uma gravidez tubária que rompeu que Wilkke acredita ser de 6 semanas.

Um feto de 6 semanas, do crânio-a-cauda, mede 4-5 mm, de acordo com Obstetrícia Williams, ou 1/6 – 1/5 polegadas. O feto da foto, quando comparado aos dedos segurando-o, parece ter cerca de uma polegada ou do tamanho de um feto de 8 a 10 semanas.

Nós também postamos a foto de um feto de 6 semanas publicado em Uma Criança Nasce, de Lennart Nilsson. Os dois são comprovadamente diferentes! Indicar a idade gestacional do feto com exatidão é importante porque essa foto representa a mortalidade da vida em desenvolvimento. Alguém deve olhar para a foto desse feto no seu segundo mês de desenvolvimento e pensar “olha aonde chegamos.” Mas quando rotulado corretamente, esse feto estaria se aproximando do segundo trimestre, um período no qual cerca de apenas 12% dos abortos são realizados, de acordo com vigilância do aborto da CDC.

O elemento menos aparente, mas possivelmente o mais pertubador dessa foto é sua atribuição. Apesar da legenda dizer “Foto de Robert Wolfe, com permissão do Museu de Patologia Bell, Universidade de Minnesota,”  o Museu Bell da U de M é um museu de história, sempre foi. E quando pedimos a Willke por informações sobre sua cópia, ele disse que simplesmente não estava mais sob sua posse. Essa foto ganhou popularidade parcialmente por causa de Wilke, mas ele nem tem a cópia original.

Idade Gestacional

Rotular o feto da imagem com exatidão é um testamento da credibilidade da fonte. Infelimente, uma porção de sites e panfletos anti-escolha rotulam suas fotos através de métodos inconsistentes com as práticas médicas. Idade gestacional pode ser indicada pela data da concepção ou pelo último ciclo menstrual. O estabelecimento médico segue o último. No entanto, quando perguntei a Willke que método ele usou, ele respondeu no email, “Isso depende da imagem, a referência da foto e o uso em referência.” Willke rotulou a foto à direita como um feto de 10 semanas em seu livro, Manual sobre Aborto. No entanto, ele foi identificado mais tarde como um feto de 12 a 14 semanas de idade pelo Dr. Andrew Ross,  ob-gin Denver. Aparentemente, consistência não era uma prioridade na identificação dessa foto, nem tão pouco os padrões da comunidade médica.

Malaquias

Fotografia de Chet Kilgore N2639 Hwy. Z G143 Dousman, WI 53118

Malaquias, literalmente o garoto propaganda da campanha anti-escolha, é um exemplo horrível de inexatidão. A parte de trás desse cartão de 3 x 5 polegadas  afirma que a vida do feto termina em dor. No entanto, julgando pela pele acinzentada do feto, ele foi abortado por laminaria através de uma injeção intra-amniótica ou foi feito para preservar a vida da mãe, segundo Andrew Ross. Se o procedimento tivesse sido feito enquanto o feto estava vivo, sua pele seria rosada como a cor da sua perna esquerda.

Escolha é Aborto

Esta foto, também distribuida em cartão 3 x 5  e usada em várias campanhas anti-aborto é igualmente inconsistente.  Se a pinça segurando a cabeça sobre a jarra é padrão OU com anel, o anel tem 1 x 0.5 centímentros, o que significaria que a cabeça é muito pequena para estar no terceiro trimestre, mas um feto menos desenvolvido não teria todo esse cabelo, diz Dr. Ross. “Eu suspeito fortemente que essa foto é falsa, e a informação na parte de trás do cartão certamente não corresponde o que é mostrado,” ele adiciona. A segunda, e mais óbvia, falácia está na descrição. Ela diz que a foto é de um feto abortado em 1987 no Texas. No entanto, aquele foi o ano que abortos no terceiro trimestre foram banidos, tornando o procedimento alegado totalmente ilegal.

Ondas cerebrais Fetal

O Comitê Nacional de Direito à Vida lançou um panfleto, Quando vida começa, que declara que com 6 semanas, o feto possui ondas cerebrais mensuráveis detectada por um eletroencefalograma. Mas usar termos difíceis de pronunciar para ganhar credibilidade não adiciona substância à essa afirmação duvidosa.  Mesmo com 7 semanas de desenvolvimento, o cérebro do feto é do tamanho de uma cabeça de alfinete. Detectar atividade cerebal através de toda contração muscular que acontece dentro da região central da mulher é uma afirmação medicamente infundada que não foi publicada em nenhum jornal revisado por especialistas.

O mesmo panfleto também cita um artigo, “O que um feto sente,” do Jornal Médico Britânico. Esse artigo, que não conta com referências de estudos, apóia a afirmação da organização de que fetos podem sentir dor. No entanto, na sua conclusão, lê-se “Não é de se surpreender que pueris que nascem através de uma difícil extração forceps agem como se eles estivessem uma dor de cabeça severa.” Uma dor de cabeça severa?!? Como um bebê recém-nascido agem como se tivesse uma dor de cabeça severa? Esse artigo é simplesmente um exemplo de como ativistas anti-escolha usam fontes falhas e informações falaciosas para provar que um ponto muitas vezes sem fundamento médico. Por exemplo, Willke, apesar das refutas definitivas do Instituto Nacional do Câncer, Sociedade Americana de Câncer, e Coligação Americana de Obstetras e Ginecologistas, insiste que aborto causa câncer de mama.

***

Fonte: http://www.lifeandlibertyforwomen.org/truth_about_photos.html

Esta entrada foi publicada a fatos sobre aborto. Adicione o permalink aos favoritos.

6 Responses to Fotos de fetos abortados?

  1. beatriz fernandes farias disse:

    gente e desumano fazer um aborto vc esta matando um ser humano e mesmo que vc esta ver um ladrao matando uma pessoa, uma crianca indefesa que nem sabe que esta sem gerado ….

    • D.H.S disse:

      Beatriz,

      Eu espero que antes de deixar um comentário você tenha lido outros textos do blog. Mas ao mesmo tempo eu acho difícil que você tenha feito, caso contrário não teria escrito algo tão imbecil. Não sei se você irá ler minha resposta, mas aqui vai:

      1. Fazer um aborto não é desumano, fetos não sentem dor até o terceiro trimestre da gravidez. A maioria dos abortos acontecem ainda no primeiro trimestre, desses, quando o feto ainda não tem a menor capacidade de sentir dor ou de saber que existe. Abortos tardios acontecem na maioria das vezes pq existem problemas ou com a mulher ou com o feto, como graves deficiências. Eu poderia dizer que aborto é o contrário de desumano, tendo em vista que na maioria das vezes o procedimento previne sofrimento. Desumano mesmo é negar direitos para metade da população, ou vc acha que as mulheres que morrem por causa do aborto clandestino não são seres humanos e não sofrem?

      2. Aborto não mata um ser humano. Eu poderia até considerar fetos mais avançados como seres humanos, tendo em vista que eles possuem capacidade de sustentarem vida por si próprios, porém, isso está longe de ser verdade para a maioria dos embriões/fetos abortados. Além disso, eu gostaria de lembrar que mesmo que embriões e fetos fossem considerados seres humanos, eles ainda assim não teriam o direito de usar o corpo de um outro ser humano contra a vontade do mesmo. Pessoas não são obrigadas a doar órgãos para salvar vida de outras pessoas, mulheres deveriam ter o mesmo tipo de consideração. No mais, leia o número 1.

      3. Aborto não é a mesma coisa que ver um ladrão matando uma criancinha indefesa. O direito de uma mulher controlar o seu corpo não pode de maneira nenhuma ser comparado com nenhuma outra situação. Gravidez e aborto são eventos únicos. Ao contrário do seu exemplo, quando estamos falando de gravidez existe apenas uma pessoa envolvida. Uma mulher não pode ser comparada com o ladrão pq ao fazer um aborto, ela não está violando o direito de uma criança, que assim como a mulher é um ser humano com direitos. Sabe quem pode ser comparado com o ladrão? O embrião/feto, pois ele está residindo no corpo dela, retirando os recursos dela contra a vontade da mesma. Vc sabe que se um ladrão invadir minha casa, eu tenho o direito de agir em auto-defesa, né? Pois bem, o mesmo pode ser dito em relação ao meu corpo.

      De resto, leia os demais textos do blog.

  2. Iracema disse:

    Creio que você não tenha filhos e nem vá tê-los, pois me parece que os considera parasitas!
    Concordo que há casos em que o aborto seja o mais indicado, ou seja, naqueles previstos em Lei, que visam a presenvação da vida da mulher ou ainda quando o feto não possui cérebro.
    No entanto, creio que você não tenha se atentado para a seguinte questão: a mulher adulta que decide transar com um homem sem fazer uso de qualquer método contraceptivo, está sujeita a ficar grávida e por esta razão não pode em seguida alegar que há um ser usurpando seu corpo e fontes de energia e seja lá o qual seja o discurso.
    Não acho realmente defensável uma mulher sair transando com quem ela bem entender, ficar grávida e correr para uma clínica de aborto para fazê-lo pois não lhe interessa ter o bebê, é por isso que existe tanta informação e métodos contraceptivos!

    • D.H.S disse:

      Iracema, vc está correta eu não tenho filhos e nem pretendo ter. Porque algumas pessoas consideram isso relevante, eu não sei. Já que a maioria das mulheres que fazem aborto já são mães e as que não, um dia serão. Eu sou minoria.

      Zigotos/embriões/fetos são parasitas. Quem diz isso são os biológos não eu. Por que usar termos cientificamente corretos ofende as pessoas? Uma pessoa que está grávida e feliz com sua gravidez pode considerar o embrião/feto como ela bem quiser (pessoa, filho, bebê) mas isso não quer dizer que a relação entre a mulher e o embrião não seja parasitória. Parasitas nem sempre causam mal ao seu hospedeiro, só pra constar.

      Aborto é indicado sempre que a mulher está grávida e não quer ou pode continuar grávida. Fim da história. Não existe casos onde aborto seja mais ou menos indicado. Essa escolha não é sua e nem deveria ser do governo.

      Mas é claro que eu já me atentei para esse pequeno detalhe. Gravidez como punição por ter feito sexo é um dos pilares do argumento anti-escolha. Mas vejamos, de acordo com o que vc escreveu: toda mulher que tiver usado algum método contraceptivo, não importa o quão efetivo ele é, tem direito de fazer um aborto pq ela claramente não consentiu a gravidez, né? Se eu tiver usado camisinha, pílula, coito interrompido, diafragma e até mesmo tabelinha está claro que eu tinha intenção de não querer aquela gravidez.

      O que vc esquece é que, mesmo que eu soubesse dos riscos que eu corro ao fazer sexo sem proteção, isso não quer dizer necessariamente que eu aceito o resultado final. Se fosse assim, pessoas que sofrem acidente de carro não deveriam ser socorridas porque elas sabiam dos riscos e mesmo assim decidiram dirigir. Além disso, a mulher pode simplesmente mudar de idéia e decidir que não quer mais o embrião/feto utilizando seus recursos. Consentimento não é irrevogável. Eu posso permitir que alguém venha ficar na minha casa, mas depois achar que aquela pessoa está me incomodando e pedir para que ela se retire. Eu posso inclusive chamar a polícia para fazer isso. Eu também posso estar fazendo sexo com meu marido e decidir que não quero mais. A partir do momento que eu digo não e alguém prossegue com a ação sem o meu consentimento, aquela pessoa está cometendo uma violação e eu tenho direito de agir em defesa do meu domínio corporal.

      Como o corpo é propriedade da mulher ela tem direito de fazer o que quiser com ele. Vc não tem que achar os motivos dela defensáveis ou não. Só para constar: zigotos/embriões/fetos não são bebês. Eles não sencientes e não estão nem aí pro fato de estarem vivos ou mortos. Pessoas que projetam suas emoções em seres imaginários são muito irracionais.

    • Jaqueline disse:

      Não acho que fetos são parasitas, mas seres humanos em formação, não sei porque certas “mulheres” saem dando como chuchu em cerca, e como resultado engravida e ainda tem o disparate de dizer que o feto é um parasita. Talvez porque ela mesma seja um parasita no mundo.Como disseram, a mulher tem direito sobre o seu corpo, mas o direito dela termina quando começa o direito da outra vida concebida. Eu acho que quando uma mulher for fazer aborto, deveria morrer junto com a vida que está tirando.

      • D.H.S disse:

        O que você acha ou deixa de achar é totalmente irrelevante. Biologicamente falando fetos são parasitas tendo em vista que eles precisam retirar recursos de um outro organismo, além de residir dentro do mesmo. Sim, o feto é um ser humano em formação. O feto tem o potencial de se tornar um ser humano mas ele não tem qualidades que podemos definir como humanas, além de residirem e dependerem do corpo de uma pessoa específica, sem o qual eles morrem, fetos não são sencientes. Por eles não serem sencientes, eles não tem expectativas ou interesses. Continuar ou não se desenvolvendo não faz a menor diferença pra eles.

        Outra, a maioria das mulheres que fazem aborto não estão dando mais do que chuchu na cerca. A maioria é mãe e está num relacionamento estável, mas se vc quer saber de uma coisa independente de quantos parceiros sexual a pessoa tem, ela tem o direito de controlar o corpo dela. O meu direito não termina no momento em que existe outra vida concebida. Eu não sou obrigada a doar meu sangue ou meus órgãos para salvar a vida de uma pessoa que já existe, é senciente e que pode ter vindo ao mundo por minha causa, logo, não tenho obrigação nenhuma de doar meu corpo por 9 meses arriscando minha vida e minha saúde. E eu acho super bonito vc achar que mulheres devem morrer junto com os embriões/fetos. A vida da mulher nem interessa, né? Vc tb não está interessada na dor das pessoas que perdem um ente querido ou nas centenas de crianças que ficam órfãs. O feto é mais importante do que todo mundo. Incrível como podem existir mulheres como vc, muito triste.

Deixe uma resposta